Lançamento Livros


RELAÇÃO DE LIVROS

SpannenbergEntre Mudanças e Permanências – Os jornais impressos soteropolitanos e suas coberturas eleitorais no século XX (e-book)
Autora: Ana Cristina Spannenberg
Editora: Editora da UFBA – https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/17158

Resumo:

A historiografia clássica do jornalismo brasileiro aponta a modernização da atividade como linear, impulsionada pela urbanização e industrialização do Sudeste. Essa narrativa, porém, deixa lacunas quanto aos diferentes graus e tempos do processo, especialmente nas demais regiões do Brasil. A presente obra, resultante de tese de doutoramento homônima, propõe-se a analisar esse processo a partir das mudanças no papel do jornal impresso na sociedade soteropolitana ao longo de nove décadas do século XX. Para tanto, foram observadas as coberturas eleitorais produzidas pelo jornal A Tarde, o mais antigo em circulação na capital baiana, nos pleitos de 1919, 1954 e 1990 e dois de seus concorrentes diretos em cada período. O texto procura demonstrar que os impressos soteropolitanos, desde a sua origem, estiveram ligados às elites baianas, por quem e para quem foram produzidos, e que suas alterações acompanham aquelas sofridas por esse grupo social, em uma relação dialética de mudanças e permanências.

 

capa divulgacao jornalismo-laboratorioJornalismo-laboratório: televisão
Organizadores: Demétrio de Azeredo Soster e Mirna Tonus
Editora: Edunisc

Resumo:

Terceiro livro da coleção “jornalismo-laboratório”. Organizado por Demétrio de Azeredo Soster (Unisc) e Mirna Tonus (UFU). O tema jornalismo-laboratório é analisado, na publicação, por meio de duas entradas: “perspectivas reflexivas” e “práticas acadêmicas em processo”, em um total de 16 capítulos e 27 autores de todas as regiões do Brasil. O prefácio é de Antonio Brasil (UFSC). As produções laboratoriais jornalísticas vivem um momento particularmente exuberante, decorrente do aumento da oferta de cursos de Comunicação, especificamente de Jornalismo, no Brasil. Não obstante sua importância na formação dos futuros jornalistas e qualificação das salas de aula, a produção de reflexões mais sistemáticas a respeito do tema não parece acompanhar o que ocorre todos os semestres nos cursos distribuídos em todo o país. É com base nesta perspectiva, de discutir a prática laboratorial jornalística brasileira, que foi dado o primeiro passo em um projeto que pretende oferecer, por meio de reflexões e relatos de experiência, uma panorâmica do atual estado da arte da produção laboratorial em Jornalismo no Brasil.

 

Capa divulgacao Quase coisaQuase coisa (poesia)
Autor: Demétrio de Azeredo Soster
Editora: Catarse

Resumo:

Terceiro livro de Demétrio de Azeredo Soster no gênero poesia. A obra, de 88 páginas, é dividida em duas partes. Na primeira, são 53 poemas cujos temas dialogam com temáticas tão distintas quanto o tempo, a incompletude da vida e os dias que não voltam mais. Na segunda, – O livro da morte – são 17 poemas onde o eu lírico observa a perenidade da vida. A capa é do artista gráfico Gabriel Renner. Sobre o mais recente livro, Soster comenta: “Tenho uma poética que o pessoal gosta de pensar como poesia urbana. Não entendo muito bem esse conceito, porque ainda que tenha morado em cidades e meus poemas sejam curtos, de natureza concreta muito forte, penso que não é facilmente ‘rotularizável’, mas as pessoas acham que é uma poesia urbana, moderna e que trabalho basicamente essas temáticas”. Conforme o escritor, o título Quase Coisa surge a partir de um conceito anterior, de Paul Ricoeur, filósofo, hermeneuta, pensador das narrativas, que é uma área de pesquisa. Segundo o professor, o filósofo diz que o artista, de certa forma, é um criador de mundos, que este cria estados que não são necessariamente palpáveis; ele cria principalmente ‘quase coisas’ em cima de quase palavras. “Foi um conceito que me chamou muito a atenção à medida em que bateu muito de frente com o que eu entendo.”

 

PrintMudanças Permanências do Jornalismo
Autores: Dione Oliveira Moura, Fábio Henrique Pereira e Zélia Leal Adghirni
Editora: Insular

Resumo:

Trata-se do primeiro volume da Série Jornalismo e Sociedade, uma parceria entre o Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UnB e a Editora Insular. A obra analisa as transformações e permanências do jornalismo, suas reais mutações e constâncias, a partir das contribuições expostas e discutidas por primeira vez entre pesquisadores da América Latina e de países francófonos (Bélgica, Canadá e França) durante o I Colóquio Mejor – Mudanças estruturais no jornalismo, no âmbito da Rede de Estudos Sobre o Jornalismo (Réseau d’études sur le journalisme). O livro reúne consagrados autores latino-americanos, europeus e canadenses, que avançam nos estudos sobre os jornalistas e o jornalismo ao distinguir as permanências que se mantêm nas aceleradas transformações em curso.

 

Juliano_MarceloJornalismo e Convergência – reflexões sobre o futuro do jornalismo
Organizadores: Marcelo Engel Bronosky e Juliano Maurício de Carvalho
Editora: Cultura Acadêmica

Resumo:

Com esta publicação, estamos preocupados em oferecer discussões acerca de um dos principais temas do campo do jornalismo, ou seja, as implicações e repercussões das tecnologias digitais, em especial as determinadas pela internet, no jornalismo. A publicação busca avançar sobre as mutações nos processos jornalísticos em um cenário convergente e, dessa forma, delinear um conjunto de estudos e discussões sobre o tema, tanto como resultado de pesquisas concluídas ou em desenvolvimento, quanto de um modo mais ensaístico, a respeito de como as novas tecnologias estão atravessando o jornalismo em suas múltiplas dimensões.

 

 

capa_claudia thomeLiteratura de ouvido: crônicas do cotidiano pelas ondas do rádio
Autora: Cláudia Thomé
Editora: Appris

Resumo:

O livro partiu da proposta de analisar e resgatar crônicas produzidas para o rádio que ainda não foram estudadas, apesar de refletirem o cotidiano da sociedade brasileira em um período histórico efervescente no país, as décadas de 1950 e 60. O tema é a crônica lida no rádio, uma “literatura de ouvido” que atrai até hoje a atenção do público e, ao mesmo tempo, um produto aparentemente perecível da indústria cultural. Na fronteira entre jornalismo e literatura, a crônica como gênero não nasceu no rádio. Mas ao encontrar esse meio, parece ter potencializado ainda mais sua característica de comentário ou desabafo, desta vez ao pé do ouvido. Detalhe interessante nesta obra é notar que, naquele tempo, a ideia era feminina, mas a voz era masculina. E mais: os textos não eram lidos, mas interpretados. Há muito o que descobrir nessas crônicas veiculadas no rádio. O livro traz uma seleta de 16 crônicas de Dinah Silveira de Queiroz que foram veiculadas nas rádios MEC e Nacional, algumas encontradas em arquivos e outras diretamente do acervo pessoal da acadêmica. Está feito então o convite para esta viagem pela literatura de ouvido.

 

Jornalismo - EM ALTA - Paula MelaniJornalismo e modo de produção: As transformações dos impressos no nordeste do estado de São Paulo
Autoras: Paula Melani Rocha e Gabriella Zauith
Editora: Unicamp

Resumo:

No cenário das transformações sociais, econômicas, políticas e culturais por que passaram Ribeirão Preto e a sua Região Administrativa, que inclui 25 municípios, o livro de Paula Melani Rocha e Gabriella Zauith acompanha o surgimento, o desenvolvimento e o papel da imprensa regional desde o século XIX até os dias atuais. É um trabalho sucinto, mas pleno de informações, que, além de passar por uma bibliografia indispensável para o assunto, traz também resultados importantes que as autoras diligentemente buscaram nas pesquisas realizadas na Biblioteca Nacional e no Arquivo Histórico de Ribeirão Preto. Sob um outro prisma, além dessas relações de determinação política e social, o livro traz também para a leitura a análise de uma outra forma de relação entre o jornal, a notícia e as tecnologias de informação e de comunicação, as TICs. A historicidade da reflexão ganha atualidade e contribui, assim, para a compreensão das transformações da imprensa em meio às profundas mudanças por que passa o mundo contemporâneo.

 

vertentes_jornalismo_mineiroVertentes no Jornalismo Mineiro (e-book)
Autores: Filomena Maria Avelina Bomfim e Ivan Vasconcelos Figueiredo
Editora: Revolução Ebook

Resumo

Trata-se de uma coletânea de sete artigos sobre a prática do jornalismo na região Campos das Vertentes, em Minas Gerais, desenvolvidos por estudiosos de variadas áreas de produção de conhecimento que se dedicaram à análise do impacto do jornalismo em seus nichos de trabalho. O objetivo desta obra é, além de destacar a transdisciplinaridade da Comunicação Social (no geral) e do jornalismo (em particular), enfatizar a importância desse intercâmbio que resulta em processos de enriquecimento para todas as partes envolvidas. As trocas entre os repertórios simbólicos das várias correntes registradas nessas páginas promove a consolidação de um fórum de debates sobre a natureza multicultural da Comunicação, bem como sobre seus efeitos multifacetados, tendo em vista o contexto em que transitam.

 

HSN - LenildeHistória sem Nome – Lembranças de uma menina quase gêmea
Autora: Lenilde Ramos

Resumo

A figura de Lenilde Ramos, associada à música e à produção cultural, ganha novo elemento de identificação: a literatura. “História sem Nome” tem base autobiográfica e a autora afirma que encontrou na realidade a fonte de sua literatura, pelo trabalho de muitos anos como jornalista e documentarista de vídeo. Lenilde sempre foi boa contadora de histórias e ao ouvi-las, as pessoas diziam: “Sua vida é um filme”. O primeiro passo foi passar para o papel a marcante experiência de ter trabalhado e convivido com uma geração de pessoas atingidas pela hanseníase, em uma época em que a medicina oferecia poucos recursos, os doentes viviam sob o peso de um preconceito milenar, confinados em colônias consideradas verdadeiros campos de concentração, tema que a autora classifica como “punk”. O livro de Lenilde parte da história de seus pais e passa por sua infância rica e agitada, marcada pela vida no internato das freiras, a convivência com a estrada de ferro, a música, o velho cinema que ficava do lado de sua casa e uma série de “coincidências” que a autora vai costurando em um texto pleno de conteúdo, descrito em linguagem coloquial e cheia de humor. A primeira edição foi promovida pela UFMS no ano de 2011. A segunda edição teve a chancela do Hospital São Julião, personagem da narrativa, que promoveu a tradução da obra e seu lançamento na Itália, em 2013. Em 2014, Lenilde circulou pelas províncias italianas da Lombardia e do Piemonte para divulgar seu trabalho.

 

Edicao capa coletanea Gadini15Coberturas jornalísticas (de)marcadas – a greve dos professores na mídia paranaense em 2015
Organizador: Sérgio Luiz Gadini
Editora: Estúdio Texto

Resumo:

As manifestações críticas, nos mais diversos segmentos, registram experiências e o uso específico de uma variedade de dispositivos, meios e técnicas. Em cada época e circunstância, movimentos sociais lançam mão das condições mais acessíveis e, ao mesmo tempo, sintonizadas com práticas culturais vigentes. A greve dos servidores públicos do Paraná, desde o início de fevereiro de 2015, e em alguns setores da administração (como as universidades estaduais), registrou cerca de 100 dias e envolveu o uso de incontáveis recursos e dispositivos de expressão midiática. A presente coletânea reúne 13 textos, entre reflexões, análises ou criticas, sobre a cobertura jornalística – nos mais diversos espaços, formatos e suportes técnicos – dos movimentos grevistas dos trabalhadores do serviço público paranaense, que envolveram diretamente centenas de milhares de servidores e, ao mesmo tempo, afetaram o cotidiano de mais de dois milhões de pessoas em todo o Estado. Em formato e-book, a coletânea também pode ser baixada gratuitamente (em PDF), logo após o lançamento.

 

Narrativas Identidade_CeliaNarrativas da identidade brasileira: Jornalismo e Redes Sociais
Autores: Célia Maria Ladeira Mota e Paulo Henrique Soares de Almeida
Editora: Kiron

Resumo:

Os textos selecionados para este livro fazem parte de uma pesquisa cujo foco é a análise das representações da identidade nacional em textos de jornalismo, telejornalismo e de redes sociais, área em que os autores produziram diversos artigos apresentados em congressos nacionais e internacionais. São textos que retomam os estudos de identidade diante de situações sociais ou políticas que provocam debates, notícias, movimentos de rua, e que os autores examinaram a partir de processos interpretativos variados, como a análise crítica da narrativa, a análise do discurso e até mesmo pela adoção da hermenêutica de profundidade, conforme proposta por Ricoeur e por Thompson. A contribuição que este livro traz é um passo relevante para compreender como se configura hoje a consciência de pertencimento ao Brasil. Esta pesquisa integra a linha de Jornalismo e Sociedade do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Os autores são Célia Maria Ladeira Mota, doutora, e Paulo Henrique Soares de Almeida, mestre, ambos participantes do projeto de pesquisa Cultura, Mídia e Política, inscrito no CNPq.

 

modelo_capa completa_17x23Jornalismo e Poder Legislativo: relações entre mídia e política no Brasil
Organizadora: Zélia Leal Adghirni
Editora: Appris
Ano: 2015

Resumo:

A coletânea reúne oito textos que aproximam o jornalismo e o Poder Legislativo, tomando como pano de fundo o Brasil contemporâneo. Assinados por autores provenientes de várias instituições, e especialmente baseados na capital federal, os capítulos se cruzam, se interrogam e se encontram numa reflexão crítica e profunda sobre as relações entre o Parlamento e a sociedade. Trata-se de uma obra inédita sobre um tema que certamente atrairá a atenção de leitores interessados em conhecer a política representativa e em compreender como os fatos políticos são midiaticamente abordados.

 

Capa_Jornalismo em Fragmentos_Thais JorgeNotícia em fragmentos. Análise de Conteúdo no jornalismo
Organizadora: Thaïs de Mendonça Jorge
Editora: Insular

Resumo:

A comunicação é central na manutenção e transmissão da nossa cultura, e vital nos processos de mudança, cidadania e resistência à autocracia. Resultado de prática social, os estudos da comunicação nos permitem explorar o complexo mundo dos ritos, a pragmática, os produtos físicos e virtuais, o comportamento dos indivíduos e da sociedade, as questões simbólicas e do imaginário de povos, grupos ou instituições. O Jornalismo, em especial, vem buscando se consolidar como corrente epistemológica e um caminho largamente trilhado nos últimos anos é a Análise de Conteúdo (AC). Por meio da Análise de Conteúdo é possível examinar o que surge na mídia e nas várias formas de comunicação, de forma a entender os fenômenos de ontem e de hoje. O livro Notícia em fragmentos. Análise de Conteúdo no jornalismo quer ajudar pesquisadores, professores e alunos, principalmente os de Mestrado e de Doutorado, como também os de Graduação em Jornalismo, no uso da técnica da Análise de Conteúdo de modo mais eficaz, por meio de situações que podem funcionar como modelos deste conjunto de técnicas. A obra é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília, por meio da Linha de Pesquisa Jornalismo e Sociedade, uma das quatro ramificações da pesquisa nessa área, na UnB.

 

Midias e Divulgacao Cientifica_Denise TAvaresMídias & Divulgação Científica: Desafios e Experimentações em Meio à Popularização da Ciência
Organizadoras: Denise Tavares e Renata Rezende
Editora: Ciência & Cognição

Resumo:

Esta obra reúne diversas iniciativas que se propõem a ampliar a interlocução da ciência com a sociedade, mediada pela comunicação social, tendo em seu horizonte a convicção de que a popularização da ciência é um dos caminhos essenciais para o exercício da cidadania plena. Dividida em três partes discute, na primeira, os desafios de tornar a ciência mais próxima do cotidiano das pessoas. Na sequência, apresenta propostas cuja perspectiva é analisar e experimentar novas formas de divulgação científica, considerando o universo atual das Midias. Finalmente, na última parte, traz experiências em que o envolvimento com as instituições acadêmicas pautou, especialmente, os projetos. A gênese deste livro foi o “1º Seminário BITS Ciência – Os desafios da relação do audiovisual com a produção científica”, realizado na UFF (Niterói), em março de 2014. O evento reuniu professores, pesquisadores, alunos e jornalistas que atuam, ativamente, no território da divulgação científica.

 

Capa Felipe Pontes - novaAdelmo Genro Filho e a Teoria do Jornalismo
Autor: Felipe Simão Pontes
Editora: Insular

Resumo:

A afirmação de Adelmo Genro Filho de que “o jornalismo é uma forma de conhecimento cristalizada no singular” mobilizou jornalistas, pesquisadores e professores nos últimos 28 anos para instituição e legitimidade das teorias do jornalismo no Brasil. Este livro expõe as mediações presentes na produção e recepção de “O Segredo da Pirâmide: para uma teoria marxista do jornalista”, bem como os conceitos filosóficos que fundamentam a assertiva de Genro Filho. Demonstra, além disso, como as escolhas teóricas do autor possuem estreita ligação com sua biografia e o modo como ele compreendia as questões de sua época. Por meio da análise da recepção de “O Segredo”, este estudo estabelece uma cartografia da produção brasileira que cita Genro Filho, evidenciando que o processo de institucionalização para a defesa do jornalismo como profissão, graduação especializada e com teorias específicas coincide com esse mapa. Por fim, a discussão sociopolítica da história de “O Segredo” oferece subsídios para a análise crítica das bases ontológicas e epistemológicas do jornalismo, recuperando o projeto ético-político que embasa a proposta marxista de Genro Filho.

 

capa-interfacesmidiaticasnaamazonia-290915Interfaces Midiáticas na Amazônia – pesquisas, saberes e vivências
Organizadores: Antonio Carlos Sardinha e Elaide Martins da Cunha
Editora: EdUNIFAP/Autografia

Resumo:  

Organizada pelos pesquisadores Antonio Sardinha (UNIFAP) e Elaide Martins (UFPA), essa produção coletiva reúne olhares distintos sobre o campo da comunicação na Amazônia brasileira em interfaces com aspectos sociais, políticos e culturais da Região. São doze textos produzidos por pesquisadores de instituições do norte, nordeste e sudeste, sobretudo das universidades federais do Amapá e do Pará (UNIFAP-UFPA). O desafio é provocar (re)leituras críticas sobre temas emergentes no amplo e diverso território amazônico através de caminhos distintos, como informação e difusão científica e tecnológica,  convergência e narrativa transmídia, imaginário e audiovisual, estratégias de visibilidade e de divulgação, usos da televisão e do rádio, o consumo da mídia, comunidades urbanas, a imprensa nortista e o papel  da noticia na Amazônia. Ao possibilitar o diálogo e a reflexão entre pesquisadores que observam por diferentes perspectivas o campo midiático na Amazônia brasileira, esta iniciativa tem como proposta estimular intercâmbios e fortalecer o campo de investigações sobre a comunicação em interface com as práticas, saberes e vivências na Região.

 

questoes para um jornalismo em crise capaQuestões para um jornalismo em crise
Organizador: Rogério Christofoletti
Editora: Insular

Resumo:

Para os que acreditam no jornalismo e na sua importância para sociedades mais evoluídas, equilibradas e justas, este livro reúne reflexões de quem se preocupa com os próximos anos nas redações e fora delas. São treze perguntas incômodas que são endereçadas não apenas aos profissionais e líderes empresariais do setor, mas também aos públicos e demais grupos de interesse. São questões voltadas para a busca de soluções, para o aprimoramento das práticas produtivas e para relações mais honestas entre os diversos atores dessa complexa equação. Os capítulos indagam, mas também arriscam respostas ou saídas, mesmo que provisórias. Os temas são diversos: o convívio entre profissionais e amadores, newsgames, reportagens multimídia, infografias interativas, a segunda tela, a convergência, as redes sociais, o que antes chamávamos de audiência, o ensino profissional, a crítica de mídia, a privacidade e a natureza endêmica da crise.

 

Capa_Mídias_Radicais_MST_2As mídias radicais do MST: representações políticas e culturais
Autor: Rafael Bellan Rodrigues de Souza
Editora: Paco Editorial

Resumo

Este trabalho investiga a produção de sentido das mídias radicais alternativas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) procurando identificar os recursos utilizados na criação de valores e princípios, ou seja, na composição das representações sociais e culturais do movimento. Essa comunicação simbólica, que atua de forma direta na constituição do imaginário político e na formação da identidade do trabalhador rural que ingressa no movimento, é construída por meio de estratégias coordenadas pelo setor de comunicação. Nosso intuito é comparar o conjunto de significados presentes nas mídias do MST ao contexto social em que essa comunicação se efetiva, considerando os fatores relacionados a essa produção. Os elementos constitutivos do cenário de representação político alternativo (CR-P), expresso nos três tipos de mídias do movimento (primária, secundária e terciária), segundo a classificação do teórico da mídia e jornalista alemão Harry Pross, apontam para uma nova visão social. A identificação dessas representações, que passam a constituir a realidade e motivar os militantes, permite um levantamento do ideário político e das estratégias contra-hegemônicas do MST.

 

 

REGULAMENTO PARA SESSÃO DE LANÇAMENTO DE LIVROS

Caros participantes do 13º Encontro Nacional de Pesquisadores de Jornalismo (SBPJor 2015).

Convidamos a todos os que tiverem livros editados nos últimos 12 meses a participar da tarde de lançamentos do Encontro. Ele ocorrerá na noite da quinta-feira, 5 de novembro, logo após a Assembleia dos Associados da SBPJor, no espaço de circulação entre as palestras, oficinas e mesas do evento, no Bloco Multiuso da UFMS.

Nossa ideia é promover o intercambio entre os participantes e os lançamentos, por isso é desejável que os autores possam estar no local, nesse horário, ou ao  menos em parte dele.

Os interessados em participar da noite de lançamentos devem enviar:
– nome completo,
– título do livro,
– editora,
– imagem da capa e
– um pequeno resumo da obra
aos cuidados de Marcos Paulo da Silva pelo e-mail sbpjor2015.cchs@ufms.br, com o assunto “Lançamento de livro“.

Disponibilizaremos mesas (para os livros) e cadeira (para o autor), além de um telão que reproduzirá a capa e informações das publicações. Caso precisem de local para colocar banner, ou quaisquer outras necessidades, favor entrar em contato pelo mesmo e-mail.

Atenciosamente.

Comissão Organizadora
Prof. Dr. Marcos Paulo da Silva
Coordenador Sessão Lançamento de Livros

 

INSCRIÇÕES

Posts recentes

Comentários

Arquivos

Categorias

Promoção
Realização
Apoio
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com